Tag Archives: Acupunctura distal

flebite

Flebite, o tratamento é possível

“A flebite é uma inflamação de uma veia. Quando afeta as veias que se veem através da pele denomina-se flebite superficial. Se estão inflamadas as veias situadas entre os músculos e portanto não se veem é a flebite profunda ou tromboflebite.”

flebite superficial

A flebite é um problema com alguma gravidade e sobretudo bastante dolorosa.

Podem existir inúmeros sintomas como; dor, inchaço, rubor ou vermelhidão, sensibilidade extrema ao toque, calor.

Este problema dificulta a mobilidade, o sono e causa inquietação pelo nível de desconforto que infere.

Os conselhos gerais são os seguintes:

  • É fundamental ir imediatamente ver um médico para começar a ser seguido(a).
  • Repouso.
  • Fazer exercícios para mover as estruturas afectadas (geralmente a flebite ocorre na região interna junto à canela), esticar e flectir os pés.
  • Após recuperação usar meias de repouso apropriadas.

Infelizmente este problema pode ser de resolução mais complexa do que às vezes aparenta. Por vezes os quadros arrastam-se, as semanas e meses passam sem que as pessoas possam sentir melhorias substanciais.

A Medicina Chinesa, através da acupunctura, pode dar o impulso necessário para se libertar deste problema.

É já bem conhecida a acção da acupunctura no tratamento da dor. Mas porque será útil num quadro circulatório? Pois, é que a acupunctura não actua apenas na dor mas em muitos outros aspectos do nosso corpo.

São obtidos efeitos muito interessantes em problemas circulatórios, nomeadamente nos da flebite. A acupunctura pode não só diminuir substancialmente a dor, como diminuir a inflamação e o inchaço. Para além disto a acupunctura interfere directamente com o aspecto circulatório, contribuindo assim para que a flebite esmoreça e, eventualmente, desapareça

Abaixo partilho um caso clínico de uma paciente que me visitou com uma flebite

ACUPUNCTURA

Alguns pacientes fazem visitas regulares. É uma vantagem inequívoca pois são acompanhados e o seu corpo tende a manter-se bastante mais saudável.

Um destes pacientes, aquando um consulta de rotina apresentou-se com queixa na perna esquerda. Fizemos tratamento e saiu com algumas melhoras.

Na semana seguinte, havia ido ao médico que lhe pediu para fazer exames. Deixou-a logo em alerta pois suspeitava de flebite.

Uma vez que este paciente visita-me com regularidade, decidimos começar a abordar este problema com mais dedicação. Nas primeiras sessões o paciente sentiu melhorias embora tímidas.

Fui aprimorando o tratamento de acupunctura, até que por volta da 3ª ou 4ª sessão os sintomas começaram a regredir seriamente. A cada semana que passava os sintomas apresentavam-se mais fracos. Sinal evidente que a acupunctura estava a ter um desempenho muito interessante.

O paciente, que sofria diariamente com dores lancinantes, extrema sensibilidade ao toque e grande inchaço na veia inflamada, passou a conseguir fazer a sua vida normal. A única coisa que continuava a fazer era evitar grandes esforços pois a perna tinha menos resistência que a outra.

Ao final de mais algumas semanas os sintomas tornaram-se raramente visíveis. A paciente ficou apenas a aguardar novo exame para ter certeza absoluta que a flebite já havia regredido e assim voltar aos habituais tratamentos de manutenção

Rafael Laballe

Frieiras

Sempre me lembro de ter frieiras. Mal o frio apertava, as minhas mãos ficavam muito frias, vermelhas e surgiam as frieiras. Depois eram as comichões e muitas vezes as bolhas rebentavam e ficava um buraco. As dores nas mãos são também frequentes, neste estado avançado das frieiras.

Uma pomada que diziam infalível, pouco resolvia e quando fazia algum efeito, já havia decorrido muito tempo.

Por conselho médico, cheguei a dormir com luvas de lã, para que as mãos não arrefecessem de noite. Mas nunca deixei de ter frieiras, ano após ano.

As frieiras podem surgir nas mãos, nos pés, no nariz e nas orelhas. Felizmente que as minhas estão circunscritas às mãos. Quando atacam os pés não se suporta o calçado, por muito macio que este seja.

Quando referi este historial ao meu acupunctor Rafael Laballe, prontamente iniciámos um tratamento e a situação foi controlada.

Com apenas duas sessões as bolhas das frieiras começaram a secar e desapareceram.

Não deixei de ter frieiras a cada inverno, mas logo que elas se “mostram” fazemos  o tratamento e acaba-se o sofrimento.

Ana Paula Catarino

2019

Fotografia das mãos afectadas:

mãos com frieiras sem feridas

Rafael Laballe

Acne após parto


“No final da gravidez e logo após a gravidez, tive uma explosão de acne infetado que depois originava bastante comichão, para além disso algumas das erupções criavam pus.  Após conversa com uma das mães no grupo de ioga sugeriu-me uma alternativa, a acupunctura. Recomendou-me o acupunctor Rafael, porque na altura estava a amamentar em exclusivo e mesmo, com o acompanhamento da parte médica, a nível dermatológico e obstétrico, não via grandes melhorias. E, sinceramente, ficava sempre aquele receio de passar para a bebé a medicação que estava a aplicar topicamente, como através da pílula e outro medicamento para reduzir a comichão. Apesar do Dr. de dermatologia ter tido isso em atenção, na primeira consulta que fiz com o Rafael, abordamos toda a minha situação clínica e, também, na adolescência por questões hormonais e à alimentação que fazia, tive uma grande explosão de acne situado na zona do peito e cara. Nesta vez, foi mais situado nas costas e peito.

Durante as primeiras semanas (de tratamento), notei realmente a comichão a desaparecer e após alguns tratamentos sentia a melhoria tanto na travagem de aparecimento de novas borbulhas, como no desaparecimento da infeções que tinha. 

Como já referi, ao amamentar em exclusivo tinha alguns cuidados com a alimentação (sempre tive na realidade…), mas em conversa com o Rafael, optamos por retirar as farinhas totalmente brancas e as bolachas processadas, que na altura consumia. E assim, com esta combinação e algumas agulhas, foi uma ajuda preciosa sem recorrer a muitos tratamentos e não interferiu em nada com a amamentação. Mais uma vez muito obrigada pela ajuda!”

Fotografias:

As imagens mostram como a paciente se encontrava no momento do inicio do tratamento e no final do mesmo

Rafael Laballe

Palpitações e acupunctura

É habitual conversar com os meus pacientes. Existem algumas vantagens, entre as quais a informação que vai chegando até mim. Certo dia, ao tratar uma paciente já há algum tempo, ela queixou-se de palpitações matinais.

Este era um problema que já existia há bastante tempo e que aceitava como “normal”. Sem perverter o tratamento decidi usar um grupo de pontos específico para este tipo de problemas.

A paciente fez o tratamento agendando consulta para 15 dias depois. Não voltei a ter noticias até altura da sessão previamente agendada. Quando vi a paciente ela referiu-me, surpreendida, que após o último tratamento não voltou a sentir palpitações.

A acupunctura é uma técnica extraordinária conseguindo muitas vezes, obter efeitos rápidos e profundos. De qualquer forma não devemos, nunca, negligenciar sintomas que podem significar problemas mais graves e é por isso, importante, existir acompanhamento médico.

Rafael Laballe

Acupunctura para tratar os efeitos secundários da analgesia

A Dona Paula visitou-se para poder ultrapassar as sequelas de uma punção lombar.

Na semana anterior havia sido operada às varizes. Quando se levantou passou a sofrer com náuseas severas e vómitos, dores de cabeça, sensibilidade à luz…

Quando voltou a visitar o médico, este disse-lhe que era consequência da analgesia e com o tempo tudo iria passar. Foi-lhe receitado um fármaco para os vómitos que permitiram à Dona Paula parar de vomitar.

Contudo, a dor de cabeça mantinha-se, as náuseas também.

O tratamento

Quando me visitou estava visivelmente abatida, de óculos escuros e com uma expressão nítida de sofrimento.

Comecei o tratamento com a paciente sentada, verificando que as náuseas e indisposição não se iriam agravar como consequência do tratamento.

Passados uns minutos a Dona Paula deitou-se e continuei o tratamento.

Poucos minutos após inserir as agulhas as náuseas haviam passado mas o desconforto na cabeça mantinha-se.

Continuei com o tratamento e cerca de 15 minutos depois a Dona Paula não sentia nada…

Final do tratamento

Retirei as agulhas e pedi então que a Dona Paula de sentasse. Ficou com receio, pois não sentia nada…

“Será que quando me sentar tudo vai voltar?”

A Dona Paula sentou-se com o sorriso no rosto e visivelmente agradada.

Estava já com dificuldades há cerca de 1 semana e a partir deste momento estava francamnente melhor

Recebi uma mensagem dois dias depois. Era a Dona Paula dizendo que estava boa!

Rafael Laballe