YNSA

Quando toda a perna é um problema

O caso

A Dona Maria tem 73 anos e quando veio ter comigo ao consultório, vinha algo desalentada pois nada a aliviava dos sintomas presentes.

Há algum tempo que sofre de uma ciatalgia com perda de movimento no pé e alteração de sensibilidade. A região do joelho também se apresenta dolorosa por vezes. A dor na perna é inconstante mas o problema motor do pé está sempre presente bem como a alteração de sensibilidade.

Exames

Revelam problema em L4-L5. Nesta região existe uma estenose severa e um desvio listésico. Em L5-S1 um debrum osteofitário posterior

Confirmam a falta de força e adormecimento no pé direito

Compromisso do nervo peronial direito com raíz em L5.

Alterações degenerativas no menisco interno

O tratamento

Após a apresentação do caso, comecei o tratamento.

A minha estratégia foi usar o método YNSA para tratar esta condição. A craniopunctura de Yamamoto é muito eficaz no tratamento de doenças neurológicas e reumatológicas, razão pela qual foi a minha escolha.

A este sistema adicionei sempre alguns pontos de apoios Tung.

Foram feitos alguns tratamentos, mas a partir do primeiro a paciente pode sentir alterações positivas no seu estado

1º – Logo após o primeiro tratamento a sensação de dor pela perna desapareceu momentaneamente e a sensibilidade no pé aumentou

4º – Aqui já não havia dor ao longo da perna e a sensibilidade no pé havia aumentado. Porém, sofria ainda com alguma dor na planta do pé e também limitações no seu movimento.

7º – Neste tratamento ocupei-me de resolver a dor teimosa na planta do pé que desapareceu e não mais voltou

 

A Dona Maria tem continuado os tratamentos, embora com menos frequência. Neste momento todos os seus sintomas melhoraram e apenas um não desapareceu por completo. A limitação motora no pé continua a existir embora menos exuberante que no início

Um caso de cirurgia

A Paula sofre de problemas de coluna há já vários anos. Estes foram tornando-se cada vez mais fortes e mais constantes com o passar do tempo.

Acabou por ter de fazer exames que revelaram lesões graves na coluna lombar que justificam a sua situação actual:

Dor lombar

Dor no glúteo

Dor e incapacidade em mover a perna que vai até ao joelho

 

Quando a Paula me veio visitar, veio de canadianas tal era a dor e incapacidade

Tratamento

Nos primeiros tratamentos foi possível eliminar a irradiação pela perna e reduzir a dor à sua origem, a região lombar e ilíaca (dor no glúteo).

Este é um caso bastante grave que terá, mais tarde ou mais cedo, de ser operado. Na realidade a paciente aguarda pela marcação da cirurgia há mais de 5 meses.

A acupunctura tem conseguido proporcionar alguma qualidade de vida, para que a Paula possa viver condignamente enquanto aguarda pela sua cirurgia.

“se não fosse a acupunctura não sei o que seria de mim”

A Paula vem religiosamente todas as semanas fazer tratamento, pois sabe que é a única coisa que a mantém minimamente bem para seguir com a sua vida. É um caso de perseverança e um exemplo para mim enquanto profissional.

Nem todos os casos têm um final feliz, mas estes servem também para relfetirmos melhor sobre a nossa saúde

Estratégia

O tratamento incide na técnica de craniopunctura o Mestre Yamamoto. Esta tem apresentado resultados notáveis no tratamento da paciente, sendo possível observar melhorias imediatas em todos os tratamentos. Como complemento tenho usado o método do Dr. Tung para tentar consolidar o tratamento.

Síndrome do túnel do carpo na gravidez

Sara*, uma futura mãe que sofre de síndrome do túnel do carpo

A Sara, veio até ao meu gabinete pois há já algumas semanas estava a sofrer com diversos sintomas na mão. A dormência nos dedos, a falta de força, os choques na mão eram logicamente incomodativos. Os sintomas agravavam de noite, todo este problema era também acompanhado por uma ligeira dor no ombro. No entando, há algo de bom, os sintomas eram recentes.

O síndroma do túnel do carpo tende a piorar com o tempo, tornando-se mais complexo o seu tratamento com o decorrer do tempo…

Umas das preocupações da Sara era, logicamente, a segurança do tratamento em relação à gravidez. O uso da acupunctura é tanto seguro como recomendável nas diferentes fases da gravidez quer pela sua intervenção positiva em muitos sintomas desagradáveis que surgem neste processo, bem como por ser uma técnica que não é tóxica não pondo por isso em risco o bébé.

Tratamento

A Sara deitou-se na marquesa da forma mais confortável possível. Antes de iniciar o tratamento perguntei se estava naquele instante a sentir alguns dos sintomas que a incomodavam, e sim estava. Nomeadamente a dormência nos dedos.

Iniciei então o tratamento com a técnica de Craniopunctura de Yamamoto. Após inserir as agulhas voltei a fazer a mesma pergunta, mas agora a resposta foi negativa, a dormência havia praticamente desaparecido. Antes de terminar o tratamento decidi adicionar mais dois pontos que considero importantes neste tipo de tratamentos. Ficaram agendadas mais duas consultas naquela semana.

No segundo tratamento a Sara vinha contente pois, embora ainda tivesse alguns sintomas, já conseguia dormir melhor (o que antes não era fácil tal era a intensidade dos sintomas). Contudo, a dor no ombro não se havia alterado. Voltei a fazer exactamento o mesmo tratamento adicionando mais um ponto como suporte para a dor no ombro. Durante este tratamento verificamos mais uma vez a eficácia instantânea da acupunctura, no que à dormência diz respeito (sintoma presente no momento do tratamento).

No terceiro e último tratamento a Sara vinha também feliz, agora a dor no ombro havia desaparecido e os sintomas da mão era praticamente inexistentes. Em apenas dois tratamentos a Sara tinha recupurado o bem-estar necessário para enfrentar este novo grande desafio da sua vida, ser Mãe

 

*O nome é fictício para proteger a identidade da paciente

Depressão

A Joana* veio visitar-me devido a várias queixas. Aquela que mais valorizei foi a sua depressão.

A Joana já sofre de depressão há vários meses. Após uma situação emocional complicada, começou com vontade de se isolar sentindo-se também desmotivada, triste e revoltada com o que havia acontecido. Pior, é que a Joana já teve pensamentos suicidas.

Mas na realidade, quando veio ter comigo, a paciente relevou primeiro as suas dores físicas, o pé, o cotovelo, as dores de cabeça, e até um dor no polegar que a chateia há muito tempo.

Foi depois de alguma conversa que consegui entender o que se passava ao nível psicológico. Tive a felicidade da Joana me confiar a sua dificuldade, podendo assim tentar ajudá-la com mais facilidade.

Tive o cuidado de dizer que no seu caso é fundamental que seja acompanhada por um psicólogo, pois a acupunctura pode não ser suficiente. Espero tê-la convencido, embora tenha demonstrado alguma resistência nessa ideia.

Propus-me ajudá-la, e foi então que iniciamos o tratamento.

Como é hábito na prática clinica dos acupunctores, muitos dos pacientes que vêm até nós pela primeira vez, têm medo das agulhas. A Joana sofria do mesmo mal.

Ao iniciar o tratamento tive também de ter isso em conta, e a Joana rapidamente perdeu o medo (após as primeiras agulhas) que tinha do desconhecido.

Tentei desde o início tratar TUDO. A depressão é fundamental, uma vez que a Joana já tem pensamentos suicidas, isso não pode continuar!

Por outro lado a depressão é um tratamento de longa duração e não podia também adiar as suas dores, que a afectam diariamente…

Após fazer o diagnóstico iniciamos o tratamento.

O primeiro tratamento correu bem, a Joana sentiu-se confortável durante todo o tratamento, embora um pouco desconfiada. No final estava mais descontraída e agendamos para a semana seguinte.

Na semana seguinte voltei a receber a Joana no meu gabinete. Ao vê-la o seu sorriso era diferente, a sua face estava mais aliviada e leve. Estava evidentemente bem disposta.

Quando perguntei, “então como passou a semana, sente-se melhor?”, a Joana respondeu: “melhorei de tudo embora uma ou outra dor tenha voltado há um dois dias, e senti uma coisa que já não sentia há muito tempo. após o tratamento senti uma alegria imensa dentro de mim

O tratamento continuou no sentido de consolidar as melhorias e tentar ajudar a Joana a ultrapassar esta fase difícil.

É extraordinário o que a acupunctura pode fazer. Na realidade o tratamento visa equilibrar o corpo, desta forma a pessoa sente-se melhor. Não apenas fisicamente bem como também do ponto de vista mental. Quando o corpo está mais forte, a pessoa tem mais capacidade para lidar com as adversidades…

“Não podemos nunca esquecer, que no caso da depressão é determinante procurar apoio psicológico. É na sinergia terapêutica que todos ganhamos e sobretudo, os pacientes”

*nome fictício

Depressão, o tratamento da Joana

Cervicalgia, um problema crónico

Certo dia recebi uma paciente de 85 anos com cervicalgia.

Este é um problema que a afecta há já muitos anos. Sente dor em todo o pescoço incluindo os trapézios. Para além da dor há uma clara limitação do movimento.

É difícil estabelecer um prognóstico nestas situações em que, por um lado a idade, por outro a gravidade da lesão, podem ser um impedimento sério à evolução do tratamento.

No entanto, foi feito tratamento. Decidi começar com a abordagem de YNSA (acupunctura craniana). No final deste tratamento pedi à paciente que movesse a cabeça…

Alguns segundos após, disse-me que já doía menos e já conseguia virar melhor a cabeça.

Continuei o tratamento com acupunctura tung para tentar melhorar ainda mais a condição. Foram então inseridos mais pontos.

A paciente fez o tratamento sentada, para que tivesse toda a liberdade de movimento.

Após finalizado o tratamento a paciente sentiu claras melhorias ao nível da dor e mobilidade.

Ao 3º tratamento a paciente já veio sem queixas, apenas com sensação de tensão no pescoço…

Conclusão: Em apenas 3 sessões a paciente livrou-se da dor e da limitação de movimento. Este problema é crónico e ja a afectava há vários anos…

Cervicalgia, o problema da paciente com 85 anos