Disfunção eréctil

Do que se trata?

Considera-se sempre disfunção eréctil sempre que o homem não apresenta uma erecção completa durante o acto sexual. O homem pode não conseguir ter erecção, tê-la apenas por momentos ou ter ainda uma erecção que não é suficiente. Qualquer uma destas condições entra na categoria de disfunção eréctil.

Quando aparece?

A disfunção eréctil está muito associada a uma idade mais avançada no homem, embora possa inclusivamente estar presente em jovens (geralmente ligado a questões ansiosas). Este problema afecta cerca de metade dos homens entre os 40 e os 70 anos, mas encontra-se em cerca de 85% dos homens acima dos 75 anos.

Quais as causas da disfunção eréctil?

A erecção peniana é um fenómeno de origem neurológica e psicológica e por isso a sua disfunção pode assentar em apenas um destes dois fenómenos, mas também em alguns outros mais particulares.

A função neural actua sobretudo na vascularização, permitindo assim o enchimento dos corpos cavernosos (tecido de características únicas existente no pénis) e evitando o seu retorno, deste modo provocando a erecção. Para além deste papel importante vai também actuar num aumento de sensibilidade e modelação hormonal.

Portanto e como resumo, as causas são diversas. Desde causas psicológicas (depressão, ansiedade), anatómicas (curvatura exagerada do pénis), neuronal (lesão dos nervos cavernosos), vasculares (obstrução das artérias cavernosas), hormonais (baixo nível de testosterona, farmacológica (antidepressivos ou antihipertensores). Estas causas podem ainda estar combinadas umas com as outras.

Factores de risco para a disfunção eréctil

A idade é considerada um factor de risto

Obesidade

Diabetes e dislipidémia (ex:. colesterol elevado)

Hipertensão

Tabagismo

Doença cardiovascular

Sedentarismo

Alguns medicamentos (ex:. antidepressivos, antihipertensores)

Diagnóstico

Parte do diagnóstico está ligada aos hábitos sexuais e à analise da performance sexual, são também feitos geralmente exames cardiológicos, de resistência física bem como laboratoriais (níveis de glicémia, testosterona, e perfil lipídico)

Tratamento convencional

A medicina oferece tratamento que difere em função do diagnóstico obtido. Mas uma boa parte do tratamento é universal, relaciona-se com os hábitos de vida, como a dieta, o exercício, o sono, etc.

Medicina Chinesa e a disfunção eréctil

Enquanto medicina holística a medicina chinesa preocupa-se sempre com o equilíbrio do ser humano e o equilíbrio do mesmo com o ambiente que o rodeia.

Portanto é fundamental corrigir a dieta, rotinas de sono e um correcto exercício físico.

DIETA – Em resumo deve reduzir/eliminar o álcool, e ter uma dieta de moderada a pobre no que respeita os hidratos (cereais e derivados, feculentas). Na dietética chinesa promove-se o consumo (moderado) se sementes (gergelim, linhaça, chia, abóbora…) e rebentos (grãos germinados). É também importante o consumo de peixe selvagem gordo e de marisco (de forma moderada). Para além da selecção dos alimentos é fundamental entender que a alimentação deve servir para nutrir o corpo sem nunca sobrecarregar o sistema digestivo, pois se isto acontecer o corpo torna-se mais frágil e débil e será mais difícil recuperar os níveis de saúde pretendidos

EXERCÍCIO FÍSICO – O exercício físico é fundamental sempre que queremos obter níveis de saúde aceitáveis. Contudo, o exercício não deve ser demasiado exigente levando assim o corpo à exaustão. O exercício deve estar ajustado às nossas capacidades e necessidades. A escolha de um exercício completo (tónico, que promova a flexibilidade articular e também o alongamento muscular) é determinante para a pessoa.
Nesta condição particular existem exercícios específicos que podem servir para potenciar a performance sexual e assim combater a disfunção sexual.

SONO – Sem o devido repouso é impossível obter saúde. O vigor sexual depende também de um estado físico pleno em que não haja fadiga. É por isso muito importante respeitarmos as horas necessárias de sono. Tentar nunca nos deitarmos depois das 23h sendo e tentando ter um sono continuado de 8h.

MENTE SÃ – Este é outro aspecto importantíssimo na saúde em geral e determinante também na performance sexual. Se ansioso, preocupado, depressivo o homem produz níveis inferiores de testosterona levando assim a uma erecção mais fraca. Deve haver uma profunda reflexão sobre o que afecta a mente e começar a resolver as questões que se arrastam diariamente e acabam por perturbar a saúde em geral e também a capacidade de obter uma erecção completa. Quando o sono é correcto a mente torna-se naturalmente mais forte. Há também certos exercícios (como o Yoga ou o Taiji) que obtêm benefícios mentais e que por isso também ajudam neste processo de reequilíbrio

Tratamento com medicina chinesa

A medicina chinesa oferece diversas formas de tratamento. O Taiji e o Qigong são formas mais gerais de abordar esta questão, mas a fitoterapia e a acupunctura apresentam-se como tratamentos mais concisos e pragmáticos quando deparados com um quadro de disfunção eréctil.

Há já diversos estudos que comprovam a eficácia da acupunctura bem como da fitoterapia no tratamento da disfunção eréctil. São hoje formas de tratamento seguras e eficazes que melhoram substancialmente a condição do paciente.

E as agulhas, são colocadas…

Não se preocupe! O tratamento não é local, o local das agulhas é estabelecido de forma estratégica para obter o efeito pretendido sem ser necessária a colocação de agulhas perto do pénis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.