Quando se trata a raíz do problema

Antes de apresentar o caso gostava de aproveitar para falar um pouco sobre a Medicina Chinesa. Oriunda da China, como o próprio nome indica, a medicina chinesa é holística. Isto quer dizer que o ser humano é não só um todo, como uma parte integrante do meio que o envolve. Na prática quer dizer que o mal/es que pode/m afectar uma pessoa tem relação com todo o ser mas também com todos os factores externos que se relacionam com o mesmo.

Então é relevante saber o estado geral da pessoa pois por mais descabido que possa parecer, este revela o seu estado actual podendo revelar a origem da sua queixa. Para além do seu estado geral, é importante conhecer o meio envolvente. O trabalho (pode revelar esforços em excesso, stress, medo, etc), relação familiar (dá muitas indicações sobre o estado mental/emocional da pessoa), o local onde vive (região húmida, isolada, urbana, etc).

Na análise segundo a medicina chinesa tudo é importante e nada deve ser desvalorizado. Compreender a vida da pessoa e como esta SE RELACIONA é determinante para elaborar um tratamento profundo e completo

Passemos ao caso…

Há umas semanas atrás recebi uma paciente que vinha bastante desanimada.

Na casa dos 50 anos, dizia estar tudo mal. Veio ver-me pois andava a ser tratada perto de mim através da fisioterapia para o seu problema no pescoço. Já há mais de 1 mês que se vinha tratando sem que os tratamentos mostrassem qualquer eficácia.

Mas o seu desânimo não se devia a isso. É que a paciente sofria de muitas coisas; dor no pescoço, insónia, dor temporomandibular (região do maxilar), tendinite no cotovelo, gastrite crónica, cansaço e depressão crónica

Depois de ter partilhado os seus problemas, tentei desdramatizar dizendo que na realidade não tinha muitos problemas mas apenas um desequilíbrio que estava a provocar todos estes problemas. Tentei passar-lhe algum alento pois todos estes problemas deitavam-na ainda mais abaixo, responsabilizando a idade como principal factor para todo este desconforto. Mas a idade não é sinal de doença, é fundamental entender isso!

Vamos aos sintomas que afectavam a paciente:

  • Dor crónica no pescoço, há 4 anos, devido a hérnias cervicais
  • Epicondilite nos dois cotovelos
  • Dormência na mão esquerda, dedo anelar e mínimo
  • Varizes nas pernas
  • Sensação de frio nos joelhos até aos pés
  • Insónia
  • Cansaço
  • Gastrite crónica
  • Hipertensão arterial
  • Depressão

Aparentemente existem muitos sintomas que são distintos, mas para a medicina chinesa tudo se relaciona…

A paciente disse-me em antemão que apenas poderia fazer um tratamento por semana.

Comecei então o tratamento tentando equilibrar o organismo.

Quando vi a paciente na segunda sessão, a paciente relatou melhorias substanciais em todo o corpo, todos os sintomas sofreram alteração

Ao fim de 4 sessões os próprios fisioterapeutas verificaram uma alteração substancial no pescoço. Já a paciente relatou inúmeras melhorias: Sem dor no pescoço, sono regular, menos dor no estômago, menos dor nos cotovelos, menos cansaço…

Pode parecer milagre, mas não. Na realidade quando o corpo caminha na direcção do seu equilíbrio os sintomas começam a regredir até, eventualmente, desaparecerem…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *